terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Para Quem Eu Escrevo

Para quem eu escrevo, não preciso dizer o nome.
Para quem eu escrevo não se ofende,
não se irrita, nem pensa em responder.

Às vezes chego a acreditar que nem reage.
Para quem eu escrevo aceita, feliz ou infelizmente aceita
e sabe que está presente em todas minhas palavras.

Me faz escrever absurdos desnecessários,
rimas impossíveis, autobiografias não-autorizadas
e me lê e me reconhece e sonha meus sonhos.

Me lê e me escuta até quando silencio.

Sua emoção aflora relendo antigas notas de amor,
me pede para eu ficar feliz, e eu pergunto como.

Para quem eu escrevo encontra seu nome e sorri,
mesmo quando o nome é outro, e guarda o segredo para si.

Para quem eu escrevo não se envaidece,
nem conta que é para ela que eu escrevo.

E é por isso que eu escrevo para quem eu escrevo.

Alexandre Spinelli

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Fragmentando ...

Não deixe que o tempo tire de você pelos desgastes sucessivos, as coisas mais valiosas que conquistou pelo caminho.

Nada que possamos nos confrontar merece este mérito. Nossas riquezas internas são intransferíveis e cada um sabe o peso que tem.

Utilize-as ao seu favor e opte em desenvolver um dia especial e memorável.

Só você pode fazer isso e mais ninguém.

- Ágacy Júnior

domingo, 1 de outubro de 2017

Cansado

Você se cansa de amores incompletos, de amores platônicos, de falta de amor, de excesso disso e daquilo. Se cansa do “apesar de”. 

Se cansa do rabo entre as pernas, da sensação de estar sendo prejudicado, se cansa do “a vida é assim mesmo”. 

Você se cansa de esperar, de rezar, de aguardar, de ter esperanças, cansa do frio na barriga, cansa da falta de sono.

Você se cansa da hipocrisia, da falsidade, da ameaça constante, se cansa da estupidez, da apatia, da angústia, da insatisfação, da injustiça, do frenesi, da busca impossível e infinita de algo que não sabe o que é. 

Se cansa da sensação de não poder parar.

PC Siqueira

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Me esqueça!

Se pararmos para analisar nossa vida, nossa trajetória e todas as pessoas que passaram por nós, assim como "quando e como" passaram por nós, chegaremos à conclusão que muitas delas pediram para ser esquecidas ... mesmo você não querendo! É engraçado! E ao mesmo tempo, lamentável! 

No decorrer dos anos, muitos "deletes" nós damos! Faz parte. Deixamos para trás o que nos causa mal e dessa forma, seguimos nossa vida, o famoso "segue o baile". Não por escolha nossa, mas por escolha do outro.

Não estou aqui para lamentar! Estou aqui para agradecer, pois assim nós podemos selecionar bem quem queremos a nossa volta e quem realmente vale a pena, quem nos faz respirar direito! Eu acredito que, assim como aconteceu comigo, deve ter acontecido com você. 

Alguns amores, amigos, colegas e até familiares ... "pedem" para ser esquecidos. Como?

Quando vão embora sem te explicar porquê, quando fogem do sentimento que os unia alegando bobagens, quando traem, quando te ferem e ofendem, quando não são capazes de corresponder ao seu amor, por orgulho ou medo, quando simplesmente agem como se você fosse um nada.

Não aconteceu? Não acontece? Claro que sim! Todos eles; todos pedem para serem esquecidos um dia. É quase uma súplica: "me arranque de sua vida, você não merece alguém como eu!". 

Aí você vai, chora um pouco ou muito e depois obedece. Não tem muito o que fazer a não ser obedecer e compreender que algumas pessoas precisam ser esquecidas, mesmo que doa. Foram elas que pediram, lembra? Você quis lhes dar amor, você as procurou, você as amou, foi parceiro, leal e o que pediram com sua atitude covarde e cruel? ME ESQUEÇA.

Daí a gente esquece. Feito um pedido de Deus, uma punição! Você esquece. Arranca do coração e trilha seu caminho como se aquela criatura nunca tivesse sequer existido.

Página virada, fim da história.

Cris Souza Fontes

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Desemprego e Faculdade

Fala pessoal, belezinha?

Estava sumido, é verdade. Como havia comentado em postagens anteriores, meu Notebook havia quebrado e fiquei com ele assim por um ano, pois fiquei sem trabalho e a prioridade financeira foi destinada a outras coisas. Dia desses, passei no banco "Caixa Econômica" aqui da cidade e descobri que tinha um saldo no PIS-PASEP, aproveitei e tratei de fazer a manutenção do meu computador.

Ah, estou amando a cidade e buscando a cada dia, me adaptar mais. O que tem me tirado a paz é o desemprego, estou a mais de um ano sem trabalho fixo e as coisas tem sido muito difíceis. o que me fez questionar:

O que fazer quando você chega aos 44 anos e se vê desempregado a tanto tempo e com duas filhas para criar? O que fazer quando a política interna da maioria das empresas, simplesmente não aceita contratar os chamados "quarentões?" Somado à crise financeira que assola o país, sem um diploma universitário, as coisas se complicam ainda mais.

É, eu sei que você deve estar se perguntando: "Mas você não tem diploma universitário?" A resposta é não! Devido a inúmeras questões e escolhas, não foi possível estudar mais quando mais jovem; fatalmente esta decisão no passado, impactou e muito meu futuro e consequentemente minha vida atual.

Tive um ótimo professor no ensino médio, o professor Daniel de Língua Portuguesa. Gostava tanto que desejava ser filho dele, um homem muito inteligente e que sempre lecionou com maestria. Meu objetivo é ser um professor de Português também e com isso, melhorar o meu currículo profissional.

Tendo em vista a minha situação financeira atual, criei uma "vaquinha" para alcançar meu objetivo. Como eu sei que tenho leitores espalhados pelo mundo todo, portanto, explicarei o termo:

Fazer uma vaquinha é uma expressão idiomática da língua portuguesa (do Brasil) e significa "juntar dinheiro com a ajuda de várias pessoas com a intenção de atingir um determinado objetivo ou comprar alguma coisa".

Em inglês, a expressão "fazer uma vaquinha" pode ser traduzida por exemplo como: "chip in" ou "club together" - They all chipped in / clubbed together to buy Alfred an expensive present.

É isso pessoal, voltarei agora com maior frequência para este espaço que amo, agradeço de coração a cada um que puder me ajudar a ser um Professor, num país tão carente de boa educação. 

Segue abaixo o link:

sábado, 8 de julho de 2017

09 anos de "Meus Fragmentos"

Fala pessoal, belezinha? 

Chegamos aos nove anos! Estou tão distante desse espaço devido a alguns fatores impeditivos, tais como: meu notebook quebrado a alguns longos meses, desemprego e a adaptação à mudança de cidade.

Mas, quero que saibam (espero que alguém ainda esteja aí, depois de meses sem qualquer sinal de fumaça da minha parte), que jamais esqueço esse espaço e pretendo ainda retornar com força total. 

Tenho tanta coisa pra contar a vocês, tenho lido muito, tenho visto diversas coisas que me trazem questionamentos e reflexões. 

Agradeço a você, que sempre dá uma passadinha aqui buscando um fragmento meu. 

Não desista, volto breve!